12 de novembro de 2010

EU FUI!

Internacional Quilt Festival of Houston / 2010? Sim, EU FUI!!!


Melhor dizendo... NÓS FOMOS!!!

Eu, Ana e Tia Fausta

Bem... na verdade... MÓ GALERA FOI!!!


Mas até que, nos primeiros segundos, do primeiro dia, tudo ainda parecia muito calmo...

Espaço destinados às palestras e à exposição: corredores inicias. Eram mais de 20 deles.

Essa foi a minha primeira visão, ao entrar no Centro de Convenções George Bush. Meu estado de euforia por estar ali, naquele evento, era algo indescritível. Quem já foi sabe bem do que estou falando. Acho que, por todo o sempre, minha mente levará comigo a beleza daquelas imagens.
Pensem num lugar do tamanho do Rio Centro, mais estreito, porém mais comprido, todinho destinado ao patch. Pareceu grande? Enorme? Pois é! Ficou pequeno para tanta gente. O espaço era dividido em três partes: uma só para a exposição e as paletras, outra só para os stands de vendas e uma última só para lanchonetes. Tínhamos combinado de ir dois dias: na quinta, para ver a exposição, e no domingo, para as compras. Quem disse que foi suficiente?! Logo no primeiro dia, quando já tínhamos quase 3 horas de feira, ainda não havíamos conseguido passar do terceiro corredor de exposição, detalhe... havia mais uns 15 a 20 corredores para serem vistos. Decidimos, então, ir para a parte das compras, resolver logo o que tínhamos para comprar e, no domingo, voltaríamos exclusivamente para terminar de ver a exposição. Tá bom! Não conseguimos visitar nem a metade dos stands de compras naquele primeiro dia. Era um mais maravilhoso do que o outro, cada um com a sua peculiaridade e sempre com uma novidade para ser vista ou adquirida. Sem contar que cada stand de venda era uma mini exposição a parte. Eles eram decorados com os mais encantadores trabalhos. Era um mais lindo do que o outro e muitos deles já com os kits prontos para você poder fazer a sua própria versão do quilt exposto. E os acessórios?! Pessoal, vi coisas que nunca imaginei que pudessem existir. Para vocês terem uma idéia, todas as vezes que saía de casa para ir a feira, falava para o Marcus: "Marida, pode deixar que hoje eu não vou comprar nada, pois já comprei tudo o que queria". Impossível! A cada stand havia uma novidade tentadora a ser adquirida. O verdadeiro antro da perdição!


Stand da MODA BAKE SHOP. Pendurado no balcão, a colcha da minha amiga Jamie, exposto durante a feira. Ela é mesmo chique de doer!


Com relação à preços, havia para todos os bolsos: coisas baratíssimas, a preço de banana; coisas baratas; coisas normais; coisas caras e coisas muito caras. Estas últimas, claro, passávamos batidas, afinal, réris mortais que somos, queríamos mais era garimpar as chepas. Minha tia e a Ana, por exemplo, perderam a linha mesmo. Por muitas vezes, vi as duas de pernas pro alto, afogadas nos enormes cestos de tecidinhos, tentando procurar as melhores combinações e cores. Nesses momentos bizarros, porém não menos engraçados, o único que me vinha a mente era aquele famoso som "Ahá, Uhú, elas estão desesperadas!". E, de fato, estavam!!! Possuídas mesmo!!! (kakakakakakakakaka...)
Infelizmente, não tirei nenhuma foto dos stands de compras, exceto o da MODA. Também, realizem comigo, quem conseguiria lembrar de máquinas fotográficas nesse momento?! Que mané máquina fotográfica!!! A LAS COMPRAS era o que queríamos!!!  Galera, era de tirar qualquer João Paulo II do seu estado de auto-controle!!! De PIRAR O CABEÇÃO meeeeeeesmo!!!
Acabou que fui três dias à feira: dois dias para as compras e um para a exposição. As meninas, com a maior dó, só puderam estar na feira por dois dias, pois o tempo delas em Houston era curto e havia muuuuuuuuuuuuito a ser feito.
Na sexta, fui exclusivamente para ver a exposição e, ÓBVIO, assistir a palestra da minha favorita Carol Doak.


 Simplesmente ELA!

Carol Doak expondo sua colcha do livro 300 Paper-Pieced Quilt Blocks.


 E eu, como toda fã de carteirinha, não dei chance ao desperdício: fiz questão de levar o meu livro para tê-lo autografado por ela. YES, I GOT IT! E mais, ganhei até um, não, dois abraços, quando disse muito sinceramente que ela era a minha favorita. Que simpatia de pessoa!!! Pena não ter conseguido tirar uma foto com ela, mas era um furdúncio de gente tudo em volta dela, parecendo abelha no mel, que preferi me conter apenas com oS calorosoS abraçoS. Show!!!! Me senti ali, diante dela, como se estivesse vendo, ao vivo e a cores, uma celebridade do oscar. (rsrsrsrsrsrsrs...) Fiquei até emocionada... (rsrsrsrsrsrsrsrsrs...) Eu sei, CAFONA toda vida da minha parte, mas, eu assumo, FIQUEI MESMO!!! (rsrsrsrsrsrsrsrrs...)
A exposição... ai... ai... o que foi aquilo?! Não sei nem que palavra usar para descrever a imensidão daquele espetáculo de beleza, cores, bom gosto e talento. Por muitas vezes, fiquei sob efeito de total deslumbramento diante de TANTA maravilha. A parte dos Baltimores, então, era de se ficar hoooooooooooooooooooooras diante de cada quilt só admirando a grandiosidade do seu esplendor. NUNCA havia visto coisas tão lindas em se tratando de patchwork. E realmente NÃO HÁ!!! Só vendo para crer!!!
Infelizmente, não era permitido fotagrafar muitas das obras, por isso, posto na minha galeria "Minha vida no mundo do patchwork" apenas o que consegui ou lembrei de fotografar, sim, porque, nesse dia, esqueci COMPLETAMENTE que a raça humana já podia usufruir de um negócio muito popular chamado máquina fotográfica, para registrar momentos da vida. Ã? Quê? Máquina fotográfica? Onde? Na minha cabeça só vinha uma única informação: The Baltimore Album QuiltsThat is it! E por falar neles, of course my horse, eles não podiam ser fotografados. Agora, simpatia, só ano que vem! Preferi postar as fotos na galeria porque, uma vez sendo muitas, achei que sobrecarregaria esse post.
Fechando a conta dos três dias, saí com as sacolas cheias de tecidos, réguas e acessórios, patterns, souvenirs e uma cabeça renovada de dicas e informações sobre aquilo que chamamos de paixão universal: o PATCHWORK.

See you next year!

Bjs e até a próxima postagem!

10 comentários:

CRAW disse...

Xi, já vi tudo, isso de feira de patch é que nem bienal, nunca dá pra ver em um dia só. Compras? Medo, muito medo! Acho que ia ficar que nem sua tia, mergulhada nos balaios de tecido, rsrsrs.

fraw_craw disse...

Dois abraços é? Ahhhh, dá um pra mim, tb sou fã de carol doak. Tem um grupo dela no yahoo, com alguns arquivos de fpp. Eu me inscrevi lá para uma garimpagem básica, rsrs.

simonepatch disse...

Nosssaaaaaaaaaaaaa,que belezaaaa.Uma prof que eu tinha foi e trouxe uns tecidinhos tudo de bom,alem de tecnicas diferentes.Espero ir um dia tambem.Beijinhossss

simone/poa

www.simonert.blogspot.com

Luciana Kajiura disse...

Sou iniciante no patch, ficou fascinada com tudo o que vejo, trabalhos lindíssimos, materiais, tecidos então... quero todos!!! Não conheço nenhuma bambambam, mas aos poucos quero saber tudo sobre elas. O seu relato está demais! Obrigada pelos detalhes. Quem sabe um dia eu também vou!
Bjos, Lu.

Tays Rocha disse...

Menina, que lindo tudo isso! E que delícia poder participar de um evento desses, obrigada por dividir conosco.

A Mariana está bem, só com um pouco de cólicas, cada dia mais espertinha :o) Beijocas.

Eliana disse...

Oi, Mari
Na minha primeira visita ao festival nós (eu e mais tres amigas)estavamos bem na porta, quase as primeiras da fila,quando ouvimos uma voz masculina anunciando no autofalante que, Ladies and gentlemen, the International Quilt Market is now open for business. Meu coração disparou, de tanta emoção.
Entramos e fomos logo aos paninhos,claro e no primeiro dia também não conseguimos passar do terceiro corredor, que sim, são vinte ao todo.
Vinte corredores, com uma média de 40 stands em cada... É mesmo muita loucura junta. Como você disse, um antro de perdição... rs.
E a emoção de ver de perto os trabalhos tantas vezes admirados nos livros e revistas ou pela internet, então?
Eu também banquei a tiete e fiquei toda boba ao encontrar a Eleanor Burns.
Ô delícia... Nessas horas acho bom que o tempo esteja passando tão rápido, pra que chegue logo 2011.
Beijocas felizes de ver a sua alegria contagiante.

ANA LUIZA disse...

O pessoal está pensando que é tudo muito lindo, muito bom, etc, etc. A galera tinha mais é que ver o estado dos meus "pézinhos" no final do dia... só mesmo uma salmoura!
E no dia seguinte começava tudo de novo. E sabem da pior parte? EU ADOREI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mari disse...

CRAW, tenho certeza que vc ficaria ALUCINADA com os balaios!!! kakakaka...

SI, era difícil definir qual tecido comprar de tão lindos e originais. Parecia que cada stand tinha um estilo de tecido diferente. Algo inacreditável.

LU, eu tb não conheço muitas celebridades do patch não, mas tenho as minhas favoritas e a Carol Doak é a meior delas. Tenho CERTEZA que um dia vc virá tb, Lu. Anota aí a data do próximo evento: 3 a 6 de novembro de 2011. Vou ficar te esperando!

Tays, vc não tem noção da beleza dos trabalhos. Era de ficar literalmente d eboca aberta. Bjs para a LINDA Mari!!!

Tia Lili, minha querida guru, vc sabe direitinho tudo que estou falando, né?! Não é verdade tudo o que digo?! rsrsrsrs...

ANA, vc foi a DIVERSÃO desse passeio. Sabe que até hj me pego rindo das sua bobeiras?! kakakakaka...

Bjs em todas!!!
Mari

Sandra Vinagre disse...

Nossa, que legal, eu gostaria de estar ai, será de uma outra vez. Beijocas e tudo de bom.

Teresa Cristina disse...

KKKK , adorei sua descrição da loucura das compras,nem precisa de fotos, patchworkeiras só mudam de endereço.
Deve ter ficado noites sem dormir só pensando nas maravilhas que viu e os projetos que iria iniciar.
Não falei que aí é o paraíso do patch?
Aos poucos vou lendo tudo e comentando, beijos.